Início   Proteção dados Condições Download Serviço Calibrações Contato
 

Medidores

Laboratório

Sistemas de regulação

Balanças


PCE Instruments TV

 

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

Ir para Microscópios.

 

,

Microscópios
Os microscópios são compostos fundamentalmente por dois componentes ópticos, a objetiva e a ocular que são unidos através do tubo, dumMicroscópios para profissionais. dispositivo de iluminação assim como por uma mesa do objeto e por um tripé para a sujeição dos componentes ópticos que fazem parte dos microscópios. O dispositivo de iluminação dos microscópios consiste regra geral duma lâmpada microscópica incorporada num tripé, que se pode ajustar ao coletor (lente ou sistema de lente próximo da lâmpada) e ser colocada por detrás do diafragma limitador do campo luminoso. O condensador dos microscópios é muitas das vezes um complicado sistema de lentes ou sistema de espelhos, que reproduz o diafragma limitador do campo luminoso na superfície do objeto. O objetivo dos microscópios é servir uma imagem intermédia real ampliada do objeto com a que se pode observar novamente com a ocular de forma ampliada. Para observar o objeto com ambas as oculares, o microscópio está equipado de duas oculares (microscópios binocular). Com essa forma de iluminação distinguem-se os microscópios de luz transmitida, que passa através de objetos muito delgados, transparentes, e os microscópios de luz refletida para a análise da superfície dum corpo opaco. Oferecemos nossa gama de microscópios para muitos usos diferentes (microscópios para laboratórios, microscópios para investigação, microscópios para escritório, microscópios para hobby...). Qualquer um destes microscópios é muito bom para sua utilização no local indicado, já que alguns destes microscópios podem ser conectados mediante USB a um computador e assim permitem documentar diretamente uma análise ou, por exemplo, com uma conexão a um projetor de ampliação de imagem podem torná-la acessível a um amplo público. Da mesma forma oferecemos-lhe a possibilidade, utilizando uma micro-ocular, de equipar de forma econômica e simples seus microscópios, e com a transferência direta de imagens dos microscópios ao PC, de aportar uma atualização técnica. Nossos técnicos e engenheiros assessorá-lo-ão com todo o gosto acerca dos microscópios assim como de todos os outros produtos que oferecemos (balanças / instrumentos de medida), para tal, basta contatar-nos através do número de telefone que lhe proporcionamos a seguir e resolveremos qualquer dúvida. +34 967 513 695 em Espanha, América Latina e internacional ou +56 2 29381530 para Chile.

Atualmente temos uma variedade de microscópios dos seguintes fabricantes:

Microscópios pela empresa PCE Ibérica S.L.Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios pela empresa Kruess.Microscópios pela empresa Herter.


Pode ver as especificações técnicas sobre os Microscópios nos seguintes links:

- Microscópios MicroCam
  (câmara ocular para os microscópios, porta USB, 1,3 Megapixéis, inclui software)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios MicroCam câmara ocular para os Microscópios, porta USB, 1,3 Megapixéis, inclui software.

- Microscópios 5283000
  (microscópios com tela LCD, cartão de memória SD, até 35 aumentos, 1,3 Megapixéis)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios 5283000 com tela LCD, cartão de memória SD, até 35 aumentos, 1,3 Megapixéis.

- Microscópios PCE-MM 200 Microscópios USB muito manuseáveis até 200 aumentos.
  (microscópios USB manuseáveis com 200 aumentos, iluminação LED, software, suporte)

Microscópios pela empresa PCE Ibérica S.L.Microscópios USB manuseáveis com 200 aumentos, iluminação LED, software, suporte.

- Microscópios PCE-MM 200UV
  (microscópios USB com luz ultravioleta manuseáveis com 200 aumentos, iluminação LED, software, suporte)

Microscópios pela empresa PCE Ibérica S.L.Microscópios USB com luz ultravioleta muito manuseáveis com 200 aumentos, iluminação LED, software, suporte.

- Microscópios 1,3 MP 52-81000
  (USB com iluminação regulável de LED branco, vermelho e amarelo, 20 e 200 aumentos, até 1600 x 1200 píxeis)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios USB com iluminação regulável de LED branco, vermelho e amarelo, 20 e 200 aumentos, até 1600 x 1200 píxeis.

- Microscópios Mag 5
  (microscópios até 900 aumentos, sensor de luz elétrico, frequência de imagem máxima 30 fps)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios Mag 5 até 900 aumentos, sensor de luz elétrico, frequência de imagem máxima 30 fps.
  Microscópios SFC-100 FL LED
    (microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, monocular, 40-400 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, monocular, 40-400 aumentos
  Microscópios SFC-100 FL (H)
    (microscópios com iluminação luz halógena, sem bateria, monocular, 40-400 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação luz halógena, sem bateria, monocular, 40-400 aumentos
  Microscópios MBL3000-PL
    (microscópios com iluminação Köhler, binoculares, ajuste grosso e fino, 40-1000 aumentos, alimentação rede)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios com iluminação Köhler, binoculares, ajuste grosso e fino, 40-1000 aumentos, alimentação rede
  Microscópios SFC-1820
    (microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, binocular, 40-400 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, binocular, 40-400 aumentos
  Microscópios SFC-1802
    (microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, monocular, 40-400 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, monocular, 40-400 aumentos
  Microscópios MBL3300
    (microscópios para metalurgia, binoculares, focagem macro e micrométrica, 40-400 aumentos)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios para metalurgia, binoculares, focagem macro e micrométrica, 40-400 aumentos
  Microscópios MML1200
    (microscópios monoculares, condensador ABBE, 40-400 aumentos, alimentação por rede)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios monoculares, condensador ABBE, 40-400 aumentos, alimentação por rede
  Microscópios 2823 LED
    (microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, trinocular, 40-400 aumentos,...)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação LED com controle de intensidade, trinocular, 40-400 aumentos,...
  Microscópios MBL3400
    (microscópios para metalurgia com célula fotoelétrica, polarizador, 50-800 aumentos)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios para metalurgia com célula fotoelétrica, polarizador, 50-800 aumentos
  Microscópios B1-220 A
    (microscópios com iluminação halógena com controle de intensidade, binocular, 40-1000 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena com controle de intensidade, binocular, 40-1000 aumentos
  - Microscópios B1-223 A
    (microscópios com iluminação halógena com controle de intensidade, trinocular, 40-1000 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena com controle de intensidade, trinocular, 40-1000 aumentos
  Microscópios MSL4000-10/30-IL-TL
    (microscópios stereo com visão oblíqua, 10 a 30 aumentos, iluminação refletida e transmitida)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios stereo com visão oblíqua, 10 a 30 aumentos, iluminação refletida e transmitida
  Microscópios MSL4000-20/40-IL-TL
    (microscópios stereo com visão oblíqua, 20 a 40 aumentos, iluminação refletida e transmitida)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios stereo com visão oblíqua, 20 a 40 aumentos, iluminação refletida e transmitida
  Microscópios B3-220 ASC
    (microscópios com iluminação halógena Koehler, cabeça binocular tipo Siedentopf, 40-1000 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena Koehler, cabeça binocular tipo Siedentopf, 40-1000 aumentos
  Microscópios B3-223 ASC
    (microscópios com iluminação halógena Koehler, cabeça trinocular tipo Siedentopf, 40-1000 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena Koehler, cabeça trinocular tipo Siedentopf, 40-1000 aumentos
  Microscópios MSZ5000
    (microscópios com zoom stereo sem iluminação, 7 ... 45 aumentos, regulação do ocular)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios com zoom stereo sem iluminação, 7 ... 45 aumentos, regulação do ocular
  Microscópios MSZ5000-IL-TL
    (microscópios com zoom stereo com iluminação, 7 ... 45 aumentos, regulação do ocular)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios com zoom stereo com iluminação, 7 ... 45 aumentos, regulação do ocular
  Microscópios MSZ5000-T-IL-TL
    (microscópios com zoom stereo com Fotobus e iluminação de luz refletida e transmitida, 7 ... 45 aumentos)
Microscópios pela empresa Kruess.microscópios com zoom stereo com Fotobus e iluminação de luz refletida e transmitida, 7 ... 45 aumentos
  Microscópios ST-30C-6LED
    (microscópios com iluminação LED incidente e transmitida, cabeça binocular, 20-40 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação LED incidente e transmitida, cabeça binocular, 20-40 aumentos
  Microscópios ST-30C-2LOO
    (microscópios com iluminação halógena, cabeça binocular, 20-40 aumentos, sem bateria)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena, cabeça binocular, 20-40 aumentos, sem bateria
  Microscópios ST-39C-N9GO
    (microscópios com iluminação incidente halógena e luz transmitida tungstênio, binocular, 20-40 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação incidente halógena e luz transmitida tungstênio, binocular, 20-40 aumentos
  Microscópios ST-39Z-N9GO
    (microscópios com iluminação incidente halógena e luz transmitida tungstênio, binocular, 10-30 aumentos)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação incidente halógena e luz transmitida tungstênio, binocular, 10-30 aumentos
  Microscópios SMZ-140-N2GG
    (microscópios com iluminação halógena e luz transmitida, binocular, intervalo de aumento: 1X-4X)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena e luz transmitida, binocular, intervalo de aumento: 1X-4X
  Microscópios SMZ-143-N2GG
    (microscópios com iluminação halógena e luz transmitida, trinocular, intervalo de aumento: 1X-4X)
Microscópios pela empresa Herter.microscópios com iluminação halógena e luz transmitida, trinocular, intervalo de aumento: 1X-4X
  - Microscópios binoculares Bino Researcher   Microscópios de mesa fáceis de manusear e até 2000 aumentos.
    (binoculares, até 1250 aumentos, iluminação de luz transmitida, ajuste de dioptrias)
Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios binoculares Bino Researcher até 1250 aumentos, iluminação de luz transmitida, ajuste de dioptrias.
  - Microscópios trinoculares Trino Researcher
    (trinoculares, até 1000 aumentos, iluminação de luz transmitida, mesa graduável em cruz)
Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios trinoculares, até 1000 aumentos, iluminação de luz transmitida, mesa graduável em cruz.
  - Microscópios avançados ICD 10x-160x
    (microscópios com porta USB, 160 aumentos, iluminação LED, tripé e software)
Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios avançados ICD 10x-160x com porta USB, 160 aumentos, iluminação LED, tripé e software.

- Microscópios para ciência IVM-401
  (microscópios para profissionais, com iluminação, com 100-400 aumentos)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios para ciência IVM-401 para profissionais, com iluminação, com 100-400 aumentos.

- Microscópios para ciência MPO-401
  (microscópios trinoculares com polarização, 40-1000 aumentos, iluminação halógena com dimmer)

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios para ciência MPO-401 trinoculares com polarização, 40-1000 aumentos, iluminação halógena com dimmer.

- Microscópios para ciência ADL-601F
  (microscópios com fluorescência, até 1000 aumentos (de luz), 600 aumentos (fluorescência))

Microscópios pela empresa Bresser.Microscópios para ciência ADL-601F com fluorescência, até 1000 aumentos (de luz), 600 aumentos (fluorescência)

- Endoscópios 
  (aqui tem outros dispositivos ópticos para a observação de objetos de difícil acesso)

Microscópios pela empresa PCE Ibérica S.L.Aqui tem outros dispositivos ópticos para a observação de objetos de difícil acesso.

O campo de utilização dos microscópios é praticamente ilimitado.

Também existem componentes adicionais para microscópios: software-kit (software e cabo de dados) para a transferência direta da visualização no PC.

Software-kit para os Microscópios: de forma opcional pode adquirir o software e o cabo de dados juntamente com os Microscópios. Opcionalmente poderá adquirir um conjunto de lâminas / porta amostras para utilizar com a gama de Microscópios de que dispomos. Também poderá adquirir opcionalmente instrumentos para utilizar com os Microscópios.

Software-Kit 
para os microscópios

Lâminas / porta-amostras 
para os microscópios

Instrumentos
para os microscópios

Utilização dos microscópios
Com a utilização dos microscópios podem ocorrer com frequência duas falhas determinantes:
- Se ajustou um aumento demasiado elevado.
Para a observação de secções de objetos simples, transparentes é suficiente para o principiante um aumento de entre 50x e 300x. Só com a observação de objetos cortados com um micrótomo e que são por conseguinte muito delgados, é conveniente um aumento superior. Além disso, utilizar-se-ão aumentos muito elevados (x 1.000 e maiores) para a observação de análises de sangue.
- O preparado deteriora-se com um falso ajuste da objetiva dos microscópios.
Com aumentos superiores pode ajustar primeiro brevemente a claridade antes que a objetiva afete o preparado. Por isso, para um ajuste apropriado, a objetiva deve ser dirigida fechada sobre o preparado. Depois pode-se ver com a ocular e ajustar com cuidado a claridade.

Microscópios da série MM em uso.
Microscópios da série MM em
utilização juntamente com um PC.
Microscópios da série VMS numas práticas de uso.
Microscópios da série VMS em
práticas de uso.
Microscópios da série TM em uso.
Microscópios da série TM descarregando
 os dados para um PC..

Limpeza dos microscópios.
Um requisito para obter imagens nítidas é que a óptica dos microscópios esteja limpa. O maior problema é o pó. Por um lado estorva na altura de visualizar a imagem com os microscópios, e por outro lado risca a superfície de vidro e danifica a engrenagem e a superfície de deslizamento dos microscópios. Assim, proteger os microscópios do pó é uma das medidas mais importantes para prevenir danos nos microscópios. Por isso, é importante cobrir os microscópios com uma capa suave e fácil de limpar depois de cada utilização, e limpar de forma regular a capa para evitar que o pó penetre até ao microscópio. É importante que as aberturas no porta primas também estejam sempre tapadas. É importante diferenciar a classe de sujidade na altura de limpar os componentes ópticos dos microscópios: partículas de pó (resíduos de vidro das lamelas, restos de têxtil, etc.) e sujidade em geral (impressões digitais, etc.).

Os microscópios são instrumentos que permitem observar objetos que são demasiado pequenos para ser vistos a olho nu. O mais comum destes é o microscópio óptico, que é baseado em lentes ópticas.

Partes essenciais dos microscópios
Os microscópios modernos podem estar compostos de diferentes componentes. Na imagem abaixo enumeram-se as partes mais importantes dos microscópios.

Partes dos Microscópios.

  1. Ocular
  2. Braço / suporte do tubo
  3. Platina
  4. Ajuste macrométrico e micrométrico
  5. Ajuste de altura da platina
  6. Fonte de luz
  7. Condensador
  8. Pinças
  9. Objetiva
  10. Revólver
  11. Tubo

Os microscópios são formados por várias partes: uma óptica e outra mecânica. A seguir faremos uma breve descrição destas partes:

  - Ocular: são as lentes que estão situadas mais perto do observador dos microscópios.
  - Braço / suporte do tubo: estão situados de forma perpendicular ao pé e podem ter uma forma arqueada ou
    vertical, para assim uni-los ao pé.
  - Platina: é a parte que suporta as lâminas, está provida de duas pinças e dum orifício pelo qual penetra a
    luz para observar a amostra.
  - Ajuste macrométrico: é um parafuso que serve para focar e deslocar de forma rápida as lentes.
  - Ajuste micrométrico: é um parafuso que serve para focar e realizar deslocações das lentes de forma lenta
  - Ajuste em altura da platina: é um parafuso mediante o qual se ajusta a platina.
  - Pé: é a parte que sustem o microscópio.
  - Fonte de luz: utiliza-se para iluminar as amostras ou objetos a observar, e encontra-se instalada no pé.
  - Condensador: é o conjunto de lentes que se encontra situado debaixo da platina e sua função é a de
    concentrar a luz sobre a amostra ou objeto.
  - Pinças: são duas pinças que estão situadas sobre a platina e utilizam-se para a sujeição das amostras.
  - Objetiva: é a lente que está situada mais perto da amostra, o que faz é ampliar a imagem desta.
  - Revólver: é a parte que sustem o sistema de objetivas, e que gira para mudar as objetivas.
  - Tubo: é a parte onde está situada a ocular, que tem o revólver com as objetivas na parte inferior e as
    oculares na parte superior.

Os microscópios contêm os seguintes componentes:
O pé é a base dos microscópios, sobre o qual se estruturam os outros componentes. O suporte do tubo é uma coluna, sobre a que se sujeitam a óptica e a platina. O tubo está quase sempre situado de forma obliqua, raramente de forma vertical, na parte superior dos microscópios. O suporte para trabalhar, que tem uma perfuração no centro denomina-se platina. Para o ajuste da nitidez normalmente dispõe de duas rodas, a roda de ajuste macrométrico e a de ajuste micrométrico. Todos os outros componentes dos microscópios que são utilizados para a iluminação e aumento sobre a amostra, fazem parte da óptica. Observa-se através da ocular que se encontra no tubo. Sobre a amostra encontram-se as objetivas sujeites ao revólver para trocá-las de forma instantânea. Por debaixo da platina dos microscópios encontra-se um sistema de lentes chamado de condensador. Para iluminar as amostras utiliza-se a fonte de luz ou um espelho.

Também se deve ter em conta, na altura de utilizar os microscópios, as diferentes características das objetivas dos microscópios já que delas depende a obtenção duma melhor imagem das amostras que se pretendem observar o estudar. A seguir faremos uma breve relação de ditas características como:
    - A escala de reprodução que é a relação linear que existe entre o tamanho do objeto e sua imagem, como por
      exemplo 4:1, 40:1...
    - O poder definidor que se refere à capacidade das objetivas de formar imagens com os contornos bem
      definidos.
    - O limite de resolução que é a distância menor que deve existir entre os dois objetos para que
      possam ser visualizados em separado.
    - O poder de penetração que é a que nos permite a observação simultânea de vários planos da amostra, que é
      inversamente proporcional à escala de reprodução ou aumento.
    - A distância frontal que é a distância que existe entre a lente frontal e a amostra colocada na platina, quando
      está focada, diminuindo à medida que for aumentada a escala de reprodução da objetiva.
    - O aumento total é que devemos de ter em conta que a ocular também tem um aumento, pelo que o
      aumento total da imagem que estamos observando é o produto entre o aumento da objetiva e o da ocular.

 

Passos a seguir para realizar uma observação através dos microscópios.

Para realizar uma observação através dos microscópios deve seguir uns passos para que assim tenha um resultado ótimo. A primeira coisa que deverá ter em conta é que o objeto ou amostra a observar pelos microscópios seja submetido a um processo para destacar algumas das partes que lhe interessa observar especialmente. Deve-se conservar a amostra ou objeto para realizar observações posteriores. As duas fases deste processo são: a de fixação e o tingimento. A fixação consiste em que a amostra que desejamos observar não se mova e para tal utilizam-se diferentes substâncias líquidas ou temperaturas elevadas para que a amostra se desidrate, e posteriormente deve lavar-se num meio apropriado para poder realizar a observação. Quanto ao tingimento trata-se de colorir a amostra que desejamos observar através dos microscópios, para assim destacar as partes que nos interessam. Para realizar este tingimento a gama de cores é muito ampla, e cada um deles destaca uma parte diferente da amostra, por exemplo, se a amostra que temos para observar através dos microscópios for uma célula, o tingimento que deveríamos utilizar para a observação do núcleo da célula seria la fucsina básica, o verde metilo. Se quisermos observar o citoplasma da mesma utilizar-se-ia a fucsina ácida, o verde luz ou a eosina, etc.
Uma vez que já tem preparada as amostras para observá-las através dos microscópios, deverá colocá-las num vidro transparente (lâminas) e cobri-las com outro vidro transparente mais fino (lamelas). As amostras seriam então colocadas nos microscópios para realizar a observação. Para obter uma imagem aumentada das amostras nos microscópios deve ter em conta que para obter o aumento desejado deve combinar as objetivas com a ocular. Posteriormente para focar as amostras deve rodar o parafuso macrométrico e depois o parafuso micrométrico para afinar o foque e assim obter uma visão perfeita das amostras. Quando as amostras já estiverem perfeitamente focadas vão-se alterando as objetivas até encontrar o aumento que necessitar. Para ter uma observação perfeita utiliza-se a fonte de luz que possuem os microscópios, pode regulá-la com o diafragma até ter a iluminação adequada para a observação.

Os microscópios são instrumentos que permitem observar objetos que são demasiado pequenos para serem vistos a olho nu. O mais comum destes é o microscópio óptico, que é baseado em lentes ópticas.

Diferentes tipos de microscópios.

Microscópios simples: são aqueles em que apenas se utiliza uma lente de aumento (como por exemplo, uma lupa).

Microscópios compostos: são aqueles que são compostos por um conjunto de lentes, dispostas de forma a que possam aumentar a imagem que se está observando através das mesmas (microscópios ópticos).

Microscópios de luz ultravioleta: a imagem neste tipo de microscópios depende da absorção da luz pelas moléculas da amostra. O seu funcionamento não é muito diferente do funcionamento num espectrofotômetro, mas seus resultados são registrados em fotografias. Para além disso, um pormenor muito importante é que não se pode observar diretamente através da ocular porque a luz ultravioleta pode danificar a retina.

Microscópios eletrônicos: são os microscópios que utilizam elétrons em vez de luz visível (fótons) para criar imagens de objetos pequenos. Este tipo de microscópios aumenta a velocidade dos eletróns para obter um comprimento de onda mais curta e conseguir uma resolução maior (os eletróns possuem um comprimento de onda bastante inferior ao da luz visível, e portanto podem desagregar estruturas muito pequenas) conseguindo assim uma capacidade de aumento até 500.000 aumentos em comparação com outros tipos de microscópios ópticos. As imagens originais obtidas são a preto e branco, uma vez que se utilizam eletróns em vez de luz. O feixe eletrônico é produzido mediante um cátodo de tungstênio.


Microscópios eletrônicos de transferência: emitem um feixe de eletróns em direção à amostra que se quer aumentar, na que há parte destes eletróns que ricocheteiam ou são absorvidos pela amostra e outros que a atravessam criando a imagem aumentada, pelo que o tipo de amostras tem de ser camadas muito finas para que assim se possam aumentar perfeitamente. Este tipo de microscópios pode aumentar a amostra até um milhão de vezes seu tamanho real.

Microscópios eletrônicos de varredura: a amostra é coberta por uma camada fina de metal e realiza-se uma varredura de eletróns, na qual um detector mede a quantidade dos eletróns que emite a intensidade da amostra, pelo que é possível mostrar figuras a três dimensões com uma grande resolução, podendo projetar a imagem da amostra numa televisão (materiais metálicos ou orgânicos).

Microscópios de varredura por sonda: este tipo de microscópios são providos dum transmissor. Para além disso, utilizam uma sonda que percorre a superfície da amostra que se quer estudar.

Microscópios de luz refletida
Estes microscópios utilizam-se principalmente para observar preparados transparentes e líquidos. O âmbito de utilização é, por exemplo, as análises de sangue, células, provas em plantas. Os microscópios clássicos de luz refletida têm uma distância de trabalho muito ínfima, abaixo dos 4 mm. Por isso, esta classe de microscópios é apta para preparados muito finos.

Imagem que foi tingida para sua observação através dos Microscópios.

Na imagem superior pode-se observar uma célula que foi tratada com tinta
para sua melhor observação através dos microscópios.


Os preparados são postos em cima da porta amostras e são tapados com o cobre amostras. Os microscópios de luz refletida têm normalmente muitos aumentos (de 40 até mais de 1000 aumentos). Em trabalhos com 1000 aumentos é necessário pôr uma gota de óleo de imersão para fechar o espaço de ar entre o porta amostras e o cobre amostras. Imagens até 400 aumentos podem ser observadas com qualquer aparelho sem necessidade de alguma técnica em especial. Com a troca das oculares pode-se incrementar os aumentos dos microscópios de luz refletida.

Microscópios de fluorescência: utilizam-se para revelar moléculas fluorescente naturais, como por exemplo a vitamina A que é fluorescente e emite luz de comprimento de onda que se encontra dentro do espectro visível quando é exposta à luz ultravioleta, ou para revelar uma fluorescência agregada, como na detecção de anticorpos.

A cor verde das folhas das plantas (clorofila) com a excitação de forma natural, com luz de onda curta, fica fluorescente à luz intensiva vermelha. Para a observação desta fluorescência primária com os microscópios não é necessário nenhum tipo de preparação. Numa fluorescência secundária marcam-se os objetos que não se tornam fluorescentes com um colorante fluorescente. Um colorante fluorescente conhecido é, por exemplo, o Acridin Orange, que com a excitação do núcleo da célula com a luz azul, mostra uma fluorescência verde. Devido ao fato da fluorescência ser apenas produzida com a preparação do colorante fluorescente, fala-se também de fluorescência induzida.

Nesta imagem pode-se ver outra amostra que não foi tratada já que só por si esta amostra é fluorescente, pelo que não seria necessário realizar uma preparação prévia de tingimento para observá-la através dos Microscópios.

Nesta imagem pode-se ver outra amostra que não foi tratada já que só por si é fluorescente, pelo que não era necessário realizar uma preparação prévia de tingimento para observá-la através dos microscópios.

Na fluorescência imune acopla-se um colorante fluorescente (quase sempre FITC = Fluorescein-iso-thio-cyanat) com um anticorpo. Estes anticorpos podem-se produzir de forma muito específica para determinadas estruturas biológicas. A união do colorante transmite-se praticamente através do anticorpo. Estas colorações são extremamente seletivas, no entanto, não tão intensivas como na fluorescência secundária tradicional.

Mudança em microscópios para objetivas maiores
Situe as células da sua amostra que deseja observar com mais aumentos no centro da imagem, para que quando mudar a objetiva encontre-a novamente. Mude a objetiva do microscópio movendo o revólver. Quase sempre acontece que a nova imagem é nítida. O ajuste da nitidez é conseguido mediante o ajuste micrométrico. Siga o mesmo procedimento para pôr uma objetiva ainda com mais aumentos.

Microscópios com grandes aumentos.

A ter em conta ao trabalhar com grandes aumentos
Ao trabalhar com grandes aumentos o diafragma dos microscópios não deve estar demasiado fechado, pois isso poderia produzir a visualização de linhas duplas e que a imagem não seja nítida. Nesse caso deve abrir mais o diafragma. Caso o diafragma estivesse totalmente aberto, a imagem poderia aparecer de forma débil, até ao ponto de não se poder reconhecer quase nada. Nesse caso dever-se-á fechar um pouco o diafragma. Se depois de efetuar um ajuste correto continua a ter uma imagem débil, provavelmente o problema é que a ocular ou a objetiva dos microscópios está suja. Nesse caso deverá limpar as lentes correspondentes.

Microscópios estéreo de luz refletida e luz transmitida
Estes microscópios utilizam-se principalmente para visualizar objetos maiores. O âmbito de utilização é, por exemplo, a análise de insetos, plantas, moedas ou a comprovação de materiais. A maioria dos microscópios de luz refletida tem uma distância de trabalho de mais de 40 mm. Por isso, estes microscópios são ideais para trabalhar com objetos grandes ou para a comprovação de materiais. Normalmente, estes microscópios são oferecidos como modelos binoculares.

Microscópios digitais
A microscopia digital é o par da microscopia convencional. As provas não se analisam diretamente através da ocular dos microscópios, mas apresentam-se como imagem completa virtual, que depois de escanear completamente a prova, esta é mostrada na tela com a resolução desejada. Um auto foco integrado garante que a imagem esteja situada sempre no foco, e que assim seja nítida. As imagens escaneadas guardam-se de forma automática para produzir por fim uma imagem completa. A imagem final virtual pode-se gravar numa base de dados.

Microscópios de força atómica: estos modelos de microscópios têm as características similares aos microscópios de efeito túnel e também quanto à resolução, mas servem para materiais que não sejam condutores, nos que a agulha está em contato com a amostra a estudar e deteta os efeitos das forças atómicas.

Microscópios petrográficos: utilizam-se para identificar e estimar quantitativamente os componentes minerais tanto de rochas ígneas como de rochas metamórficas, o qual tem um dispositivo para polarizar a luz que passa através da amostra examinada.

Microscópios de efeito túnel: estes microscópios têm uma agulha tão afiada que em seu extremo só há um átomo. A ponta da agulha coloca-se sobre o material e aproxima-se até uma distância de 1 nanômetro, e uma corrente elétrica débil gera uma diferença de potencial de 1 volt. Ao percorrer a superfície da amostra, a agulha reproduz a topografia atómica da amostra.

Microscópios em campo escuro: na objetiva deste tipo de microscópios recebe-se a luz dispersa ou refratada pelas estruturas da amostra, pelo que está equipado com um condensador especial que ilumina a amostra com uma luz muito forte indireta.

Microscópios de contraste de fase: é muito útil para a observação de células vivas e para observar células sem colorantes.

Microscópios de luz polarizada: é uma modificação dos microscópios ópticos o qual contém um filtro polarizante chamado polarizador entre a fonte de luz e a amostra, e situa-se um segundo polarizador, denominado analisador entre a objetiva e o observador.

Microscópios confocais: utiliza uma iluminação mediante um raio laser, o qual vai fazendo uma varredura da amostra por todo seu volume, criando assim mais imagens bidimensionais que um PC. Este método tem a vantagem de se poder tirar imagens da amostra em cortes muito finos.

Microscópios virtuais: é um projeto que foi criado para realizar estudos sobre o comportamento de organismos microscópicos, em investigações forenses...

Microscópios de antimatéria: estes microscópios são baseados numa antipartícula dos eletrões, denominam-se positrões. Estes podem criar imagens de alta qualidade dos defeitos em superfícies de semicondutores.

Microscópios monoculares, binoculares e trinoculares
Os microscópios monoculares são os mais econômicos introduzidos no mundo da microscopia. Não perdem visibilidade por usar uma só objetiva. Para uma visualização prolongada e mais relaxada convém trabalhar com os microscópios binoculares. Ao utilizar ambos os olhos, a vista está mais relaxada durante um espaço de tempo prolongado. Os microscópios binoculares têm, para além de elementos normalizados, uma disposição de prismas mais complexa e uma iluminação mais potente.

Microscópios monoculares.         Microscópios binoculares.

Para aplicações que requerem guardar imagens existem microscópios trinoculares. Tratam-se de microscópios binoculares com um tubo adicional. Isto permite-lhe situar uma câmara USB que registra as imagens. As imagens registradas podem ser transferidas depois para um PC ou portátil. Também tem a possibilidade de conectar um micro ocular aos microscópios binoculares. Este micro ocular coloca-se simplesmente numa das oculares dos microscópios. A micro ocular oferece-lhe a possibilidade de transformar de forma econômica os microscópios em vídeos microscópios.

Microscópios trinoculares.        Microscópios de tela.

Exigências aos microscópios.
Dependendo da utilização que lhe é dada, porá mais ou menos exigências ao equipamento. Microscópios normais com 400 ou 600 aumentos costumam ter uma iluminação suficiente. A iluminação especial como um contraste de fase, de campo escuro e iluminação potente halógena permitem um reconhecimento de detalhes de objetos sem contraste, sem a necessidade de tingir o preparado.

A história dos microscópios remonta do ano 1610 onde há provas de seu uso pela primeira vez por parte de Galileu, segundo referência dos registros italianos que existem, mas se contrastarmos estes registros com outros holandeses, aprova-se este mérito a Zacharias Jansen mais ou menos da mesma época. No entanto a Accademia Nazionale dei Lincei (Academia Nacional dos Linces), que é a mais antiga e importante de Itália e provavelmente da Europa à qual pertencia Galileu, publicou um trabalho sobre a observação microscópica do aspeto duma abelha. Posteriormente foram publicados outros trabalhos muito importantes sobre o campo da microscopia, como por exemplo Malpighi que apareceu por volta do ano 1660 - 1665, no qual constava a observação da circulação sanguínea através dos microscópios, o que provou a teoria de Harvey (que foi um médico a quem se atribuiu ser a primeira pessoa a descrever a circulação do sangue, mas o espanhol Miguel Servet fez uma descrição da circulação sanguínea pulmonar um quarto de século antes de que tivesse nascido Harvey, mas naquela época foi considerado como uma heresia, pelo que foi destruído o livro que escreveu, ainda que afortunadamente, tempo depois foram encontradas três cópias). Em anos posteriores foram aparecendo novas investigações como as de Robert Hooke (que foi um cientista inglês, um dos mais importantes da história, em sua trajetória abarcou vários campos desde a biologia, medicina, física, microscopia, até à arquitetura, entre outros). Sobre meados do século XVII um comerciante holandês Anton Van Leeuwenhoek realizou uma investigação com microscópios de fabricação caseira na qual visualizou pela primeira vez protozoários, bactérias, espermatozoides e glóbulos vermelhos. Ao longo do século XVIII os microscópios tiveram vários progressos mecânicos que aumentaram sua estabilidade e facilidade de uso. Um dos melhoramentos mais importantes que tiveram os microscópios por volta do ano de 1877, foi a óptica dos microscópios, já que Carl Zeiss (que foi um óptico alemão e as primeiras lentes foram empregues como peças na construção de microscópios) melhorou a microscopia de imersão substituindo a água por óleo de cedro conseguindo assim até 2000 aumentos. Posteriormente em inícios dos anos 30 tinha-se alcançado o máximo desenvolvimento para os microscópios ópticos, mas um desejo científico de que continuassem a ser investigados fez com que os microscópios eletrônicos começassem a ser desenvolvidos. Por volta do ano 1931 foram desenvolvidos os microscópios eletrônicos de transmissão (TEM) e posteriormente em 1942 os microscópios eletrônicos de varredura (SEM). Em ambos os casos, estes microscópios permitiram obter imagens de grande resolução em materiais pétreos, metálicos e orgânicos.

Microscópios em  PTB

Se desejar ver ou imprimir a secção de ditos microscópios em nosso catálogo,
clique no símbolo PDF
Ir para o catálogo dos Microscópios.

Encontra-se na categoria: início / instrumentos de medida / medidores / Microscópios

Se tiver dúvidas, pode pedir ajuda aos nossos empregados telefonando para o número +34 967 513 695 em Espanha, América Latina e internacional ou +56 2 29381530 para Chile.

A mesma página em espanhol Microscópios: a mesma página em espanhol. em alemão Microscópios: a mesma página em alemão. em italiano Microscópios: a mesma página em italiano. em inglês Microscópios: a mesma página em inglês. em croata Microscópios: a mesma página em croata. em francês Microscópios: a mesma página em francês. em húngaro Microscópios: a mesma página em húngaro. em turco Microscópios: a mesma página em turco. ou em polaco Microscópios: a mesma página em polaco.